Abdominoplastia: tudo o que você precisa saber

A plástica de abdome é utilizada para remover o excesso de pele e gordura da região. Mas também pode restaurar músculos enfraquecidos ou separados. A saber, qualquer pessoa pode desenvolver flacidez e gordura abdominal localizada. Contudo, situações como gravidez, envelhecimento, perda significativa de peso e cirurgias prévias podem contribuir para o quadro. Por isso, preparamos um guia com tudo o que você precisa saber sobre a abdominoplastia.

Como decidir sobre fazer ou não uma abdominoplastia

O resultado da abdominoplastia é um abdome mais liso e tonificado, o que, às vezes, não é possível de ser alcançado apenas com exercícios e alimentação. Por consequência, ela é indicada especialmente nestas situações e não deve ser considerada uma substituta à perda de peso e programa de exercícios. Só para exemplificar, a plástica de abdome não é capaz de corrigir estrias, apenas minimizá-las, se estiverem na área de pele que será retirada.
Além disso, os resultados serão mais duradouros se não houver oscilações significativas de peso. Portanto, pacientes que ainda não perderam a quantidade de peso que desejam ou mulheres que pretendem engravidar devem aguardar. Em consulta com o cirurgião plástico, o paciente será informado sobre os resultados possíveis e realistas. Assim, a avaliação sobre os benefícios excederem os riscos deve ser pessoal.

Como funciona a cirurgia

O médico vai avaliar o abdome do paciente para verificar o acúmulo de gordura, pele e distensão muscular. Logo após, desenvolverá o plano cirúrgico mais adequado ao caso. A abdominoplastia, assim como outros procedimentos estéticos, deve ser personalizada para atender às necessidades do paciente.
A cirurgia é feita por meio de uma incisão horizontal na região pubiana — cuja extensão e forma variam de acordo com a quantidade de pele a ser removida. Eventualmente, pode ser necessária uma segunda incisão — esta vertical e próxima ao umbigo — para retirar os excessos da parte superior do abdome. A fim de que o abdome se torne mais rígido e a cintura mais fina, os músculos abdominais também podem ser suturados.

O pós-operatório da abdominoplastia

Após a cirurgia, além de curativos e bandagens, podem ser necessários drenos para eliminar o excesso de líquido. Da mesma forma, o paciente precisa utilizar cinta de compressão — para minimizar o inchaço e sustentar os novos contornos durante a cicatrização. E, ainda, realizar o acompanhamento com o cirurgião plástico em consultas periódicas.
Da mesma forma que a incisão, a extensão e o formato da cicatriz dependerão da quantidade de pele que foi removida. Além disso, cirurgias anteriores podem limitar os resultados da plástica abdominal. No caso de mulheres que passaram por cesariana, as cicatrizes existentes podem ser incorporadas às novas.

Sobre o Dr. Rafael Quaresma

Dr. Rafael Quaresma é médico formado pela Universidade Católica de Brasília (UCB). Fez especialização em Cirurgia Geral, pelo Hospital Universitário de Brasília (HUB), e Cirurgia Plástica, no Hospital Daher. Além disso, é membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Atualmente, trabalha realizando cirurgias plásticas em geral e cirurgias reparadoras e de contorno corporal pós-cirurgia bariátrica.

Outros posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu